Workshops\Curso de Iniciação às Técnicas do Actor | Sábados

16ª edição

Curso Iniciação às Técnicas do Actor

(Sábados)

 

DATAS: 24 de Fevereiro a 23 e Junho de 2018

HORÁRIO: Sábados - 10h às 14h e 15h às 17h

DURAÇÃO: 100 horas

VALOR DO CURSO: 570€ (possibilidade de pagamento em 3 prestações)

CONDIÇÕES DE ACESSO: maiores de 15 anos

VAGAS: 20

OBJECTIVOS: Pretende-se que os alunos adquiram um maior conhecimento de si próprios, quer ao nível físico, quer ao nível sensorial e emocional, bem como uma consciencialização do funcionamento do corpo, do aparelho fonador e das potencialidades inexploradas destes dois importantes instrumentos de trabalho. Trabalha-se a concentração, o relaxamento, a disponibilidade física e psicológica, o desenvolvimento da criatividade individual bem como o respeito pela criatividade e individualidade dos seus companheiros de trabalho.

DISCIPLINAS | CARGA HORÁRIA | PROFESSORES

Interpretação | 52 horas | Nuno Nunes 

Voz | 24 horas | Inês Nogueira 

Corpo e Movimento | 24 horas | Elena Castilla

 

PROGRAMA

 

INTERPRETAÇÃO

O programa de formação assenta no trabalho prático, na experiência individual de cada aluno das diferentes matérias abordadas

Preparação técnica, conhecimento do corpo físico e vocal:

- aquecimento e relaxamento: disponibilização física e mental;

- consciência das articulações do corpo, dos pontos de apoio e da postura;

- relação com o espaço: direcção do movimento, direcção do olhar, noção de foco e exercícios de orientação;

- a voz: respiração, utilização do diafragma, articulação verbal, ressoadores, projecção;         

Preparação psico-física:

- jogos teatrais: trabalho sobre espontaneidade, concentração, interacção e desinibição;

- exploração das qualidades rítmicas e musicais do intérprete, associadas ao movimento e à voz, através de exercícios rítmicos, de coordenação motora e de canções;

- instrumentos expressivos do intérprete: processos de ampliação e contágio, corpo plástico e corpo mimético;

- a contracena;

Criatividade e imaginação:

- explorar a relação com o espaço, com os objectos e com o outro, desenvolvendo a capacidade de abstracção e de escuta;

- exercícios de improvisação com base em regras simples e em temas dados;

- preparação de desempenhos individuais e em grupo a partir de temas dados e da recolha de materiais diversos (textuais, imagéticos, sonoros);

Interpretação e repetição:

- noção de partitura e de sequência na criação de desempenhos estruturados e repetíveis 

- bases do trabalho sobre o texto (a divisão, os diferentes sentidos e inflexões, o ritmo, a respiração e a articulação);

- trabalho de grupo, co-responsabilização, divisão de tarefas a partir da noção das diferentes disciplinas que concorrem para o acto teatral.

 

PROFESSOR: NUNO NUNES

IMG_4273.JPG

Fotografia: Ramon

Actor e encenador, trabalhou com algumas das principais companhias de teatro portuguesas e em vários projectos internacionais. Para além de cinema, fez televisão, publicidade e dobragem ao longo de 18 anos de actividade. Como formador trabalhou nos mais diversos âmbitos, entre entidades de formação oficial e contextos específicos de intervenção artística e social, tanto em Portugal como em vários outros países. Colabora com a Act desde 2008.

 

 

 

VOZ

Na disciplina de voz, integrada no Curso Livre de Iniciação às Técnicas do Actor – Sábados, vamos incidir o nosso trabalho em três vertentes:

- a articulação (com exercícios para os alunos tomarem consciência do modo como falam e o que fazer para uma boa articulação);

 - o volume (com exercícios para trabalharmos as  ressonâncias e uma boa emissão do som);

- a intenção (com texto em prosa, texto erudito e texto dramático: o modo como dizemos o texto e a construção da oralidade emocional por contraponto à oralidade literária. a interpretação).
 

Estas vertentes do trabalho de voz são sempre enquadradas numa perspectiva de dinâmica de grupo e do trabalho do actor e portanto são sempre complementadas com exercícios de aquecimento físico, disponibilização para o trabalho do actor, exercícios de respiração (para que esta seja eficaz  e ajude a uma boa emissão de som) e exercícios de expressão dramática vocacionados para o trabalho de voz que estimulem a imaginação e a liberdade vocal.

 

PROFESSOR: INÊS NOGUEIRA

ines nogueira

Completou o Curso de Teatro da Escola Superior de Teatro e Cinema em 1993. Trabalhou com os seguintes encenadores: Antonino Solmer, Fernanda Lapa, Carlos Avilez, Mário Feliciano, José Peixoto, Elsa Valentim e Maria Duarte, Jorge Silva Melo, Luis Assis, João Grosso, Miguel Abreu, Cristina Bizarro e José Mora Ramos, Rui Madeira, Élvio Camacho, Karas e Teresa Sobral.

No cinema trabalhou com Jorge Silva Melo e na televisão com Joaquim Leitão e Francisco Manso.Cantora desde 1989, canta neste momento, no projecto “Jazz e Poesia”, e participa desde 2002 nos eventos - performance “Sunday Show” organizados pela associação Bomba Suícida.Co-autora de “Manual de Teatro”, dirigido por Antonino Solmer, edição Cadernos ContraCena, 1999.Professora de “Oficina de Expressão Dramática”, 12ºano, na escola secundária de Camões, de 1995 a 2004. Dirigiu vários Workshops de Voz e Trabalho de Texto, desde 1998; deu aulas em Timor-Leste e é professora de voz da ACT- Escola de Actores – Curso Profissional e Curso Livre

 

CORPO E MOVIMENTO

Consciência Corporal

Objectivos específicos: Despertar para uma relação consciente do corpo com o movimento; Despertar para a consciência da anatomia no movimento (esqueleto/articulações, músculos, centro de gravidade/periferia); Explorar o movimento com base na percepção e na criatividade.

Conteúdos: Exercícios de pesquisa de movimento a partir de diferentes partes do corpo (diferentes focos); Exercícios de pesquisa criativa que potenciem a consciência anatómica: esqueleto/articulações, músculos, centro de gravidade/ periferia; Exercícios de pesquisa sobre a relação da verticalidade com a horizontalidade; Exercícios de pesquisa de movimento sobre a relação do corpo com o chão: apoios, peso, equilíbrio, força; A observação e a escuta como principais ferramentas para a consciência corporal.

Consciência Espacio-Temporal

Objectivos específicos: Despertar para uma relação consciente do corpo com o espaço; Desenvolver a noção de escuta.

Conteúdos: Exercícios que potenciem a relação consciente do corpo com o espaço e com o tempo através da escuta e da observação; Exercícios que desenvolvem a relação do corpo com o espaço através da decisão; Exercícios de integração do espaço nos acontecimentos do corpo.

Preparação física

Objectivos específicos: Desenvolver a coordenação motora; Detectar inibições, tensões e hábitos de postura incorrectos.

Conteúdos: Análise do movimento: características individuais; o movimento do outro; Análise de recorrências e hábitos motores que limitam a expressão do movimento. 

Metodologia: Presencial: o trabalho a desenvolver nesta disciplina é de carácter eminentemente prático. Os exercícios são, na sua maioria, de pesquisa (individual, a pares, ou colectiva). O aluno deve agir no presente, integrando as informações dadas, adaptando-as ao seu corpo, criatividade e interpretação. O aluno será sempre solicitado a apresentar exercícios de experimentação/ investigação ao resto dos elementos do grupo, alternado assim entre a acção e a observação. Esta disciplina pretende, com esta metodologia, levar o aluno à descoberta dos seus próprios processos de aprendizagem e de construção de sentidos cénicos.

 

PROFESSOR: ELENA CASTILLA

IMG_9457_baixa resol.jpg

Iniciou o trabalho de corpo através da ginástica rítmica, começando posteriormente a formação em técnicas de dança clássica, moderna, contemporânea e composição coreográfica. É Licenciada pela Escola Superior de Dança de Lisboa, pós-graduada em Performance Artística e Dança, Universidade de A Coruña, e em Pedagogía do Ensino, Universidad de Extremadura.    

Desde 2003 desenvolve trabalho de criação e interpretação na área da dança contemporânea/performance. Foi membro do grupo de investigação TeDance (expansão tecnológica da dança) e LAB MAT (laboratório de movimento, arte e tecnologia. Montemor o Novo e Badajoz 2012 e 2013). Tem trabalhado com Tânia Carvalho, Luiz Antunes, Stephan Jurgens e Sílvia Pinto Coelho, na Companhia de Dança de Lisboa, na Companhía do Centro coreográfico da Comunidad Valenciana, e com a Companhia Nada que ver. Destaca os duetos co-criados com Ulla Janatuinen, Tengo Tanto e True or fairytale, o realizado com Fernando Segador, Cuento de Amantes, o solo Knee e o documentario Fuego Lento (premio melhor documental Festival Fiver).

Desde 2000 lecciona aulas de dança. Ballet para crianças, dança criativa (diversas escolas de ensino primario), movimento para actores, dança contemporanea, e alongamentos e tonicidade para adultos.